CIDADANIA SOCIAL

Associação para a Intervenção e Reflexão de Políticas Sociais

A Cidadania Social promove a disseminação do conhecimento junto da opinião pública, sendo decisivo para as boas escolhas de políticas públicas.

Cidadania Social

A iniciativa de criação em 2015 da CIDADANIA SOCIAL – Associação para a Intervenção e Reflexão de Políticas Sociais responde à constatação de que o debate das políticas públicas em Portugal carece de estruturas permanentes de reflexão e intervenção que funcionem de forma independente, orientada para a reforma das políticas sociais no sentido da salvaguarda de um Estado que garanta proteção social adequada e sustentável a todos os cidadãos.

Por outro lado, não existe entre nós a tradição de avaliação de políticas públicas ex-ante e ex-post e sem aquela não é possível aferir a sua eficácia e eficiência e, consequentemente, a sua legitimidade.

Acresce o facto de que, em Portugal, a sociedade civil se encontra afastada dos objectivos e da aplicação das políticas públicas. A não participação na definição das regras, na identificação dos problemas e das respostas, afasta os cidadãos dos seus direitos e deveres e isola as instituições públicas da sociedade. Esta ausência de conhecimento e de participação impede o escrutínio das políticas públicas e contribui para baixos níveis de responsabilização por parte dos poderes públicos.

A CIDADANIA SOCIAL tem a convicção de que o exercício da cidadania ativa num clima de liberdade de expressão deve ser suportado em competência técnica que contribua para a disseminação do conhecimento junto da opinião pública, sendo decisivo para as boas escolhas de políticas públicas.

A discussão sobre as grandes opções de reforma do Estado Social implica uma mudança de narrativa no sentido de colocar ênfase na visão realista das condições económicas de longo prazo, sem nunca perder de vista a competitividade e a solidariedade, desafiando todos os atores políticos, económicos e sociais a uma definição rigorosa e tecnicamente sustentada de políticas sociais adequadas e sustentáveis.

Para o efeito, CIDADANIA SOCIAL envolverá em permanência especialistas com credibilidade, competência e representativos de diversos sectores da sociedade portuguesa, designadamente, político, académico, social e empresarial, assegurando a diversidade de opinião sem a qual o debate não se faz, não perdendo de vista a definição raigorosa de opções de política social sustentáveis.

A CIDADANIA SOCIAL assume-se, assim, como uma instituição de intervenção cívica de referência, dotada de conhecimento e capacidade técnica para o desenvolvimento do estudo e do debate sobre Políticas Sociais, designadamente nas áreas do Emprego, das Qualificações e da Segurança Social e Solidariedade, nas dimensões económica, social e política, com o objectivo de contribuir para a qualidade das políticas públicas e de facultar à sociedade civil informação acessível e esclarecedora.

Orgãos Sociais

  • Mesa da Assembleia Geral

  • Diogo Leite de Campos – Presidente

  • Maria Beatriz Corrêa de Aguiar – Secretário

  • Direcção

  • Maria Margarida Corrêa de Aguiar – Presidente

  • Fernando Ribeiro Mendes – Vice-Presidente

  • Carlos Pereira da Silva

  • Jorge Bravo

  • Conselho Fiscal

  • Rui Martinho - Presidente

  • Pedro Travassos (ROC)

  • Carmen Oliveira

  • Conselho Científico

  • Diogo Lucena – Presidente

  • Alfredo Marvão Pereira

  • André Azevedo Alves

  • Gracinda Guerreiro

  • José Tavares

  • Miguel Coelho

  • Miguel Gouveia

  • Miguel Portela

  • Nazaré Costa Cabral

  • Pedro Corte Real

  • Suzana Peralta